Obrigado a Julio Marchi pelo espaço cedido na MSX All
 

Historia

  O projeto MSX Viewer tem como por objetivo prover uma boa e poderosa ferramenta para ajudar desenvolvedores de softwares de MSX a portar imagens entre os sistemas MSX e IBM-PC, uma vez que o PC possui o que há mais de moderno e prático em termos de edição gráfica.
  Tudo começou durante o meu projeto final como estudante de Engenharia de Sistemas e Computação, onde telas remotas deveriam ser capturadas e enviadas a outros PCs. Tomando contato pela primeira vez com uma ferramenta de PC para manipulação de imagens, percebi que havia uma certa semelhança com o sistema de cores da screen 8 do MSX, onde eu tinhas bons conhecimentos, graças também às boas matérias da revista CPU-MSX. A minha curiosidade ali era ver se dava pegar uma foto do PC e portar para a screen 8. Deu para fazer com certa facilidade, pois eu sabia que o PC representava seus valores RGB com 8 bits para cada cor e o MSX tinha 8 bits para as três cores, com o azul possuindo apenas 2. A simples tarefa aqui era fazer uma normalização de cada valor de 8 bits para 3 ou 2, colocar os bits na posição correta (gggrrrbb) e acrescentar o header do arquivo de imagens de MSX. Então, deu-se o inicio para o desafio de fazer o mesmo para mais screens.
  O primeiro passo do projeto foi ler e mostrar imagens no formato do MSX no PC. Este, sem sombra de dúvidas é o passo mais simples deste projeto, pois criar uma interpretação do formato para cada screen e encontar a cor correspondente no PC. O passo mais difícil é sem sombra de dúvidas o caminho inverso, pois trata-se de transformar uma imagem de 24 bits de cor para um conjunto de cores bem menor. Aí, faz-se necessário o uso de técnicas de processamento de imagem, para realizar um ajuste adequado ao formato do MSX. Uma vez ajustada aos padrões do MSX, basta converter o formato dos pixels do PC para o formato do MSX.
  O MSX Viewer 1 foi o pontapé inicial do projeto. Ele era capaz de abrir imagens de algumas screens de MSX. A versão 2 do projeto já era capaz de converter e gravar as imagens no formato do MSX. O MSX Viewer 3 trouxe as ferramentas necessárias para o processamento da imagem que seria salva no formato do MSX. Utilizando-se de técnicas como o "error diffusion", viu-se pela primeira vez uma foto na screens 5 e 7 do MSX, com apenas 16 cores! Por fim, o MSX Viewer 4 teve como novidade a paleta de cores, correção de bugs e a capacidade de ler e gravar todas as screens do MSX.
  Paralelo ao desenvolvimento do MSX, surgiram outras ferramentas como o Color Magic, que era capaz de trocar cores na imagem; o Paleta 512, reproduzindo o sistema de paletas do MSX; e o Screen 2 Show, recriando o famoso "display" para telas do Graphos III.
  Em 2006, decidi transformar o projeto em "open source", nos moldes da licença GPL, para que todos pudessem se envolver neste projeto e ajudar à comunidade do MSX. Este será somente liberado ao público, quando se atingir estágio semelhante ao MSX Viewer 4.

Marcelo Teixeira Silveira
Engenheiro de Sistemas e Computação - UERJ
Mestre em Engenharia de Computação (M.Sc.) - UERJ

© MarMSX 1999-2017